sexta-feira, 25 de julho de 2008

Os dissimulados que se mudem



















Imagem: "oblíqua e dussimulada" - http://www.flickr.com/photos/derbyblue/292856773/

v. tr., encobrir, ocultar com astúcia; fingir; disfarçar.

Assuma: você gostaria que eles sofressem!
Quem não convive ou já conviveu com algum dissimulado que atire a primeira pedra!
É muito pertinente que se tenha mais mágoa dos dissimulados do que do mentiroso, do ladrão, do corrupto, do insolente, porque, afinal de contas, os dissimulados são tudo isso numa criatura só e, para piorar, em 98% dos casos, são encantadores!

OK, isso não está fazendo o menor sentido pra você? Eu explico.
Ele ou ela teve a capacidade de te convencer que era seu amigo, ou qualquer outra relação similar que te fez acreditar que ele era digno da sua confiança ou do seu amor, da sua admiração e (lá no fundo) provavelmente da sua inveja.
Algum dia você partilhou segredos, felicidades e até fraquezas com eles e eu posso garantir que eles te roubaram tudo isso. Portanto, os predicados escritos lá no começo do texto dizem respeito ao dissimulado sim, principalmente ladrão!

[atenção, os depoimentos a seguir são verídicos e não usam nomes fictícios]

Eu tive essa professora de ballet, Ingrid. Quando eu crescesse, eu queria ser igual a ela (que bom que eu não cresci). Um dia ela resolveu que tinha o direito de me humilhar (sim, humilhar, verifique no dicionário exatamente o que isso quer dizer) em uma sala com aproximadamente 50 alunos (entre profissionais, semi-profissionais, adultos e adolescentes).
Ela roubou meu sonho de ser bailarina e minha capacidade de acreditar em ídolos, e conseqüentemente nas pessoas...

Tive esse namorado, Hector. Primeiro grande amor, enorme admiração, era quase como se eu quisesse ser ele! Durante anos de namoro eu acreditei cegamente no que ele dizia e dia após dia, fui me convencendo de que era a pessoa egoísta, ciumenta e burra que ele dizia (sem palavras explícitas). Um dia ele quis que eu acreditasse que a depressão profunda em que eu estava (e que só piorava) era chilique e eu não consegui.
Ele roubou minha auto-estima, minha saúde (mental e física) e também minha capacidade de acreditar realmente em qualquer pessoa...

Tive uma “amiga”, Priscilla, daquelas que se quer copiar, bonita, alta, descolada, bem vestida, conhecia todos os “cool” da cidade e ainda por cima era dona do seu próprio negócio (de roupas para descolados, é claro!). Durante muito tempo eu só comprava na tal loja, passava as tardes fofocando por lá e ainda levava todas as amigas (as de verdade) para gastarem (elas gastavam bem) para comprarem com ela.
Ela me roubou o namorado. Não o do parágrafo acima, mas um que me levava café na cama, me fazia surpresas, me escutava e estava quase me fazendo acreditar nas pessoas novamente.
Este me roubou a crença de que existe alguém exatamente do jeito que se sonhou e que basta encontrá-lo...

Tive essa chefe, Renata. Ela mais parecia amiga de trabalho; trocávamos confidências, idéias sobre a profissão, dicas amorosas. Eu a admirava justamente por sua capacidade de liderança discreta, sem pisar nos subordinados. Uma dia tudo que eu havia partilhado com ela se tornou “falta de profissionalismo” e ela tentou me fazer acreditar que eu não ia alcançar nada profissionalmente.
Ela me roubou a crença em amigos de trabalho...

Tive muitos outros dissimulados passantes da vida e cada um deles me rouba algo proporcional ao tamanho de sua importância na minha vida.

Eu? Eu sigo aprendendo a perceber uma atitude aqui, um olhar fujão ali, um pseudo-sorriso acolá e vou muito bem, obrigada.
Sigo acreditando que a Lei do Karma funcione sempre e que eu não preciso gastar mais energias do que já perdi com esses senhores. Sigo realizando meus desejos mais cruéis através dos sonhos.

Sigo tentando ser encantadora e digna de sua admiração, do seu amor, da sua confiança e (lá no fundo) provavelmente da sua inveja.

13 comentários:

ana laura disse...

que legal isso aqui :)
beijo, menina

ana laura disse...

que legal isso aqui :)
beijo, menina

Ana Paula Sampaio disse...

Dê... acabei de descobrir que um amigo que eu gostava muito é um dissimulado... Você acha que eu faço o que com ele???? beijos!!!

Ana Paula Sampaio disse...

Ah, e quantos blogs legais já descobri aqui na sua lista! Que delícia! =D

Anônimo disse...

Conheci um homem educadíssimo. Nada de bonito, porém encantador. Gentil, prestativo, delicado, inteligente, atualizado. Eu saíra de uma separação traumática e estava fragilizada. Ele desmanchou-se em gentilezas, dizendo-se apaixonado. Disse-me que estava separado "de fato" da mulher, mãe de dois de seus filhos, e que apenas viviam na mesma casa, que a relação terminara por causa de um "erro" que cometera.
Muitas vezes ficava dois, três dias na minha casa.
Saíamos em férias juntos, viajamos duas vezes para o nordeste,e outros lugares... ele frequentava festas da família, enfim.
Levou-me um dia junto com uma irmã e sobrinha a jantar em sua casa. Seus filhos e a mulher estavam na praia.
Lá, mostrou-me seu quarto, onde dormia separado da mulher. Era o quarto de hóspedes.
Ele mantinha seu celular no silencioso, e dele não se separava . Demonstrava temer ligações. Então, um dia ele esqueceu o celular ao ir ao supermercado, e vi que alguém ligava continuamente. Liguei para o tal número e atendeu uma mulher dizendo ser MÃE DE SUA filha ! E que eram amantes há doze anos !Nossa, ele tinha uma filha e outra mulher !
Falei o que soubera, e ele chorou desesperadamente !
Contou-me que tivera esta filha com uma mulher numa cidadezinha próxima de nossa capital,alegando não ter tido relacionamento longo, e que sua esposa ao saber, não lhe perdoou. Conversamos muito e ele resolveu procurar um psiquiatra e contar o fato para seus pais e filhos.
Hoje a menina convive com os avós..não envergonha-se mais de sua condição de filha tida fora do casamento. Ele está divorciado e morando com os Pais. Só que descobri recentemente que, na época em que se dizia separado, vivia normalmente com a mulher; nos conhecemos em 1999, e em 2002 houve a separação. Coloquei as fotos em que aparecíamos juntos no nordeste sem saber disto,NO ORKUT, e os filhos viram e ficaram furiosos, pois o pai vivia com a mãe deles na época. Sua ex mulher me contou as proezas do ex marido, e fiquei sabendo então, que quando ele ia de mala para minha casa, dizia em casa que estava "indo a negócios para São Paulo"...
E Hoje descobri, que toda vez que ele sai de mala, dizendo estar indo viajar a negócios, está na casa de outra, ou viajou com outra. No mes de setembro de 2007, quando lhe convidei para viajar no feriado, ele disse que eu fosse, que ele precisava de um TEMPO para descansar. Eu viajei, e ele passou na casa de outra, e quando retornei, ele viajou "para São Paulo a negócios". Leia-se, foi passear com a outra em Riveira, como soube através de uma nota fiscal de compras que lá efetuou.
Meu psiquiatra me recomendou: Não existem príncipes como sabemos. Depois dos 50 somos terminais...e não há como iludir-se mais. Não deixe-o. Faça o mesmo ! Quando ele viajar, "vá também para São Paulo", desfrute !
"Contra o veneno da cobra,só o veneno da cobra".Se encontrares outro em que possa confiar, e que te ame, aí quem sabe. Mas não fique só. Nesta fase da vida, só estão "solteiros", os que não passaram na peneira. Provavelmente vais trocar o ruim pela porcaria !
E ruim por ruim, fique com o que já conheces bem. Apenas fique de olhos bem abertos !
E assim estamos nós. Me tornei uma dissimulada ?
Não, porque ele mesmo faz questão de demonstrar que não me deve satisfações.DISSE-ME APÓS UMA DISCUSSÃO QUE NÃO PRECISA DE AUTORIZAÇÃO MINHA PARA NADA !
Assim, quando ele me diz que vai sair com os "filhos". Já sei...Se vai viajar a negócios.. já sei...
E sabem de uma coisa ? Estou adorando..aprendi a me divertir sem ele. E fico feliz com isto...Vejo que outros me acham interessante...E estou com um "ficante ", que sempre está a meus pés quando ele precisa "viajar" ou "jantar com os filhos"..
Tem razão ele ! É bom "viajar" de vez em quando...heheheh..Estou aprendendo a ser cínica depois de velha. Vejo minhas amigas separadas, que acreditam em seus namorados, passando pela mesma situação, e recomendo meu psiquiatra. Disse-me ele, que 99% de seus pacientes com relacionamentos antigos, TRAEM suas mulheres, e que as mulheres, sabedoras disto, estão vingando-se, e indo para o mesmo caminho. Disse-me que de seus pacientes, apenas um, muito religioso, negava a traição, mas que é uma questão de tempo para admitir. Ele tb trai.
São os novos tempos do amor líquido...Quando não se pode com o inimigo..UNA-SE A ELE !!!

abnaraleon disse...

Adorei seu blog, e esse texto me fez voltar no tempo. Pessoas Dissimuladas foi o que mais a vida me deu de presente, e sabe o que aprendi??? Que hoje estou bem melhor sem elas, e elas me deram tudo que tinha no coração. Não são todas as pessoas que sabem dar o melhor de si...

Posso te Add no meu blog??
Abraços

Beatriz Levischi disse...

ótimo texto! e eu não sou de elogiar fácil... rs

Clara disse...

Pois, nenhum destes me faz descrer. Tudo que acontece é pra melhor. Escrever é catártico, no meu blog têm um monte coisas escritas para aquele que muito me gastou no último ano. Ainda disse, algo sobre serem minhas atitudes desmedidas e desnecessárias, "ele não merecia"; o embriagado falando da sem limites, mas veja o link, uma das respostas:
http://liliabrick.blogspot.com/2008/09/se-eu-fosse-menos-desmedida-e-menos.html

Clara disse...

Também sou sua fã, vc me inspira,,,rs bjos

Daniele disse...

baah, to cansada de gente assim! :/

Memé. disse...

Pessoas dissimuladas, desagradáveis e que nos magoam existem aos bandos. Infelizmente não temos um filtro pra evitar que esse tipo de coisa aconteça. Não adianta acharmos que aprendemos e que nunca mais vai acontecer, porque é difícil prever. A gente sabe que muitas coisas ainda vão acontecer. A vida é assim, cheia de surpresas agrádáveis e outras nem tanto. Mas a única coisa que realmente importa é fixar o nosso olhar apenas nas coisas boas, nas pessoas que nos fazem bem, naquilo que nos engrandece e que nos põe pra cima. Àquelas ruins, apenas a lição que deixaram (que possa te fazer crescer) e nada mais. O esquecimento é o melhor remédio. Ignorar, abstrair. Porque cada uma dessas pessoas não sentiu o mesmo que você e todos estão bem. Não vale a pena guardar essas lembranças negativas. Elas só fazem mal à uma pessoa: nós mesmos. Aprendi isso há pouco tempo e sou muito mais feliz hoje do que antes. Aprendi a não deixar o sofrimento durar muito. Me apego ao que é verdadeiro, enterro o falso e vivo feliz. Você é querida por muitos! Por mim, inclusive, apesar de quase não nos encontrármos. Enterre os pesadelos! E seja feliz, porque você merece!!! Beijos!

Ana Paula Sampaio disse...

E a senhorita vai voltar a escrever quando, hein??? rsrsrsr beijos, saudades!

Tiago Floriano disse...

Olá,

meu nome é Tiago Floriano, proprietário do site Blogosfera.us (www.blogosfera.us). A Blogosfera.us é um site semelhante ao Blogger.com.br e Wordpress.com mas, com algumas vantagens a mais como, mais espaço em disco para postagens, imagens e arquivos (5gb de espaço), ferramentas extras como enquetes (entre outras ferramentas que você pode adicionar em seu blog) e um e-mail exclusivo para o seu blog (seublog@blogosfera.us).

Outro favor importante é que não inserimos propagandas nossas em seu blog e, você ainda pode adicionar seus anúncios do Google Adsense, se assim desejar.

Acessei seu blog e vi que ele tem um bom conteúdo e, certamente, tem uma boa visitação, por isto gostaria de convida-lo a levar seu blog para a Blogosfera.us onde, certamente, seu blog terá tratamento especial.

Fico a disposição para esclarecer quaisquer dúvidas.

Obrigado por sua atenção.

Atenciosamente,
Tiago Floriano
contact@blogosfera.us
www.blogosfera.us